fechar
LOGIN ASSOCIADO
English (United States) Português do Brasil

Cerimônia de abertura, Encontro de Enfermagem e Simpósio de Gestão são destaques do primeiro dia do HEMO 2017

O HEMO 2017 começou cedo e com os auditórios lotados no Expotrade Convention Center, na cidade de Curitiba/PR. Nesta quinta-feira, 9 de novembro, os congressistas puderam acompanhar diversas atividades que ocorrem de forma simultânea, com temas voltados para hematologia, hemoterapia, anemia, trombose, doenças onco-hematológicas, doação de sangue, transplante de medula óssea, novos medicamentos, entre outros.  

O evento é o terceiro maior congresso de hematologia do mundo e tem a expectativa de reunir mais de cinco mil congressistas até sábado, 11 de novembro. Confira as fotos oficiais do HEMO 2017 na página oficial da ABHH no Facebook: https://goo.gl/M9mrrZ.

17º Encontro de Enfermagem em Hematologia, Hemoterapia e TMO

Uma das atividades que reuniu diversos especialistas no Auditório Barigui foi o 17º Encontro de Enfermagem em Hematologia, Hemoterapia e TMO. Dividido em quatro blocos, os participantes puderam assistir e participar de mesas-redondas sobre segurança transfusional na doação de sangue. Além disso, os possíveis impactos na segurança do sangue se esse critério for suprimido pelo STF.

“É um momento marcante dentro deste evento voltado aos especialistas em hematologia e hemoterapia. Esperamos que todos se sintam acolhidos, pois foi com esse intuito que visamos promover esse encontro”, declarou a coordenadora da atividade, Marcela Ganzella.

O Encontrou ainda debateu outros temas como: administração de enfermagem na hemoterapia, o cuidado de enfermagem em hematologia e hemoterapia, além da apresentação de trabalhos orais de temas que envolvem leucemia, doença falciforme e terapia transfusional.

11° Simpósio de Gestão em Unidades de Hemoterapia

No Auditório Ópera de Arame, aconteceu durante o dia todo o 11° Simpósio de Gestão em Unidades de Hemoterapia. A ideia da atividade é trabalhar os assuntos do dia a dia dos bancos de sangue da área de hemoterapia de uma forma geral, tanto nos bancos de sangue como também em Agências Transfusionais.

No início do Simpósio, foi abordado durante conferências assuntos que englobam: “O futuro do emprego” e “Avaliação de incidentes e quase-erros transfusionais em um hospital do litoral de Santa Catarina”. Outro tema debatido foi sobre a redução do percentual de serviços de hemoterapia de riscos no Brasil.

“Neste ano, os temas de discussão estão mais voltados na questão da captação em relação aos resultados e principalmente voltado aos recursos humanos. Isso tudo pensando na atuação dentro dos bancos de sangue com o intuito de trazer mais doadores, com o menor custo possível. Além disso, é necessário olhar e trabalhar com as pessoas que desempenham essas atividades para que se tenha mais eficácia e menos recursos”, explicou Ricardo Haddad, coordenador do Simpósio.

Para fechar o Simpósio, os congressistas puderam discutir sobre recursos humanos focados em Return Over Investment (ROI), com uma rodada de perguntas e discussões sobre o tema.

Abertura Oficial

Após um dia intenso e cheio de atividades científicas, na noite desta quinta-feira, a execução do hino nacional brasileiro anunciou oficialmente o início do terceiro maior congresso de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular do mundo.

Como tradicionalmente em todo Congresso, ocorreram quatro homenagens especiais aos hematologistas e hemoterapeutas que se destacaram nos últimos anos em suas atividades. Foram eles: Dra. Paula Brunieira, Dr. Carlos Chiattone e ao Dr. José Orlando Bordin.

O presidente da ABHH, Dr. Dimas desejou boas-vindas e prestou uma quarta e última homenagem do HEMO 2017 especial. Trata-se de homenagem póstuma ao Dr. João Pedro Marques Pereira por toda a sua contribuição e engrandecimento na medicina nacional.

Em seu discurso, Covas agradeceu a presença de todos e demonstrou a satisfação em realizar mais um HEMO. “É inegável que a ABHH se tornou uma das maiores Associações e é um orgulho para nós ter mais de 2 mil associados, sendo 70% deles médicos”. Na oportunidade, o presidente da ABHH ressaltou que o sucesso nesta gestão dependeu de toda a diretoria que estava completa no palco.

Covas disse ainda que o Brasil vive um momento difícil em diversos aspectos, mas que ele tem esperança para que a situação melhore. “Desta forma, visando a evolução, nós como sociedade temos o papel em sermos melhor a cada dia e a ABHH está contribuindo para que isso ocorra”, finalizou.

“Para mim é uma oportunidade ser o presidente de honra deste Congresso em Curitiba. Posso dizer com facilidade o quanto vi o crescimento do HEMO, onde os corredores e salas dos centros de convenções ficam repletas de profissionais das áreas de hematologia e hemoterapia”, afirmou Pasquini, presidente de honra do HEMO.

Compuseram a mesa: Dr. Dimas Tadeu Covas, presidente da ABHH e do HEMO 2017, Dr. Ricardo Pasquini, presidente de honra do Congresso e o representante do Conselho Federal de Medicina, Dr. Luís Henrique Mascarenhas.