fechar

No primeiro dia do Congresso da SBTMO, conferência magna destaca o uso de CART-Cells e os avanços de pesquisas no Brasil

Começou hoje, 2, o XXII Congresso da SBTMO, na cidade do Rio de Janeiro. Aproximadamente mil congressistas e 26 convidados internacionais participam do maior evento de transplante de medula óssea do Brasil. Serão abordados temas como o uso de CAR-T Cells no país, TCTH para Síndrome Mielodisplásica e oncologia pediátrica, além do XX Encontro de Enfermagem e Equipe Multidisciplinar, XVI Encontro de TCTH em pediatria da SOBOPE e XVIII Encontro de Histocompatibilidade e Imunogenética, entre outros.

Durante a cerimônia de abertura, o presidente do Congresso, Dr. Luís Fernando Bouzas, destacou a importância do transplante na vida de milhares de pacientes com doenças hematológicas e alguns tipos de câncer. Bouzas também reforçou a relevância de eventos científicos para a capacitação de profissionais de saúde ligado ao TMO e a necessidade de parcerias entre as entidades médicas, como a estabelecida com a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), com a Associação Brasileira de Histocompatibilidade (ABH) e com a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), além do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea, que em 2018 completa 25 anos.

No fim da solenidade a SBTMO homenageou quatro importantes especialistas que contribuíram de forma significativa para o avanço do TMO no Brasil. São eles: Dr. Frederico Dulley, ex-presidente da SBTMO; Dr. Wellington Azevedo, fundador da SBTMO e precursor na implantação de diversos centros de TMO no Brasil; Dra. Maria Elisa Moraes, especialista pioneira em histocompatibilidade e fundadora do Redome, além da homenagem póstuma ao Dr. José Roberto Feresin de Moraes, fundador do Redome e ex-marido da Dra. Maria Elisa.
Em sequência, o Dr. Marcelo Pasquini, diretor científico do Center for International Blood and Marrow Transplant Research (CIBMTR), dos EUA, deu início à Conferência Magna com o tema “aspectos clínicos das células CAR-T: estado da arte”. O Dr. Nelson Hamerschlak, próximo presidente da SBTMO, deu continuidade ao assunto com a palestra sobre a aplicação de células CAR-T no Brasil. Pela primeira vez no país, os participantes acompanharam a apresentação do médico norte-americano e integrante do CIBMTR Dr. Wael Saber sobre transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) para síndrome mielodisplásica. O chefe do serviço de Hematologia e do Transplante de Medula Óssea do Hospital Universitário Walter Cantídio, no Ceará, Dr. Fernando Barroso, encerrou a aula magna com a palestra o registro de TCTH em SMD.

Durante a parte da tarde, na sala Segovia I e II, aconteceram as aulas sobre TMO para leucemias agudas; opções de transplantes para o tratamento de mieloma múltiplo; Doença do Enxerto Contra o Hospedeiro e complicações tardias pós TCTH. As palestras tiveram a participação dos maiores expoentes da hematologia e transplante de medula óssea no Brasil e no mundo, como Dr. Nelson Hamerschlak, Dr. Eduardo Magalhães Rego, Dra. Belinda Simões, Dr. Amin Alousi, Dr. Daniel Couriel e Dra. Mary Flowers, entre outros.

Na sala El Pardo foram debatidas as principais infecções após o TCTH; ações de educação para os pacientes pré e pós transplantes de células-tronco hematopoiéticas, além das apresentações orais de trabalhos científicos e resultados de pesquisas clínicas. As aulas fizeram parte do XX Encontro de Enfermagem e Equipe Multidisciplinar em TCTH.

Nas sessões dedicadas à histocompatibilidade, destaque para a diversidade de HLA no Redome e as diretrizes da European Society for Blood and Marrow Transplantation (EBMT) para a detecção e tratamento de anticorpos anti-HLA doador específico (DAS) em transplantes haploidênticos. Ao fim do dia a ABH realizou a sua Assembleia Ordinária.

Nesta sexta-feira as palestras acontecerão das 8h15 às 18h30, além da Assembleia da SBTMO, que oficializará a nova diretoria da Sociedade pelos próximos anos.